Archivo Español de Arqueología, Vol 75, No 185-186 (2002)

Os chamados castella do Sudoeste: arquitectura, cronología e funções


https://doi.org/10.3989/aespa.2002.v75.134

Carlos Fabião
Departamento de História da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa , Portugal

Resumen


De há longa data são conhecidos vários edifícios de feição turriforme e organização complexa no Sudoeste Peninsular. Embora alguns tenham sido objecto de investigação, a ausência de publicação extensa dos dados que forneceram, inibe uma correcta interpretação das suas funções e tem alimentado um longo debate inconclusivo. No estado actual dos conhecimentos, parece claro que estes edifícios são romanos, sem nenhuma ligação com o mundo indígena; não terão tido uma função militar, em sentido estrito, contrariamente ao que sucede com o Castelo da Lousa, Mourão, uma verdadeira fortaleza, bem distinta dos restantes conhecidos; resulta claro, hoje, que a suposta concentração deste tipo de arquitectura numa região concreta será mais aparente que real. Constituem um modelo de povoamento ensaiado pelos romanos no Sudoeste num lapso de tempo compreendido entre a Segunda metade do século I a. C. e os inícios do I d.C, provavelmente, antecedendo a estabilização do modelo rural clássico.

Palabras clave


Poblamiento rural romano; siglo I a.C. / siglo I d.C.

Texto completo:


PDF


Copyright (c) 2002 Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC)

Licencia de Creative Commons
Esta obra está bajo una licencia de Creative Commons Reconocimiento 4.0 Internacional.


Contacte con la revista archesparqueologia.cchs@cchs.csic.es

Soporte técnico soporte.tecnico.revistas@csic.es