Archivo Español de Arqueología, Vol 75, No 185-186 (2002)

Os chamados castella do Sudoeste: arquitectura, cronología e funções

Carlos Fabião

DOI: http://dx.doi.org/10.3989/aespa.2002.v75.134

Resumen


De há longa data são conhecidos vários edifícios de feição turriforme e organização complexa no Sudoeste Peninsular. Embora alguns tenham sido objecto de investigação, a ausência de publicação extensa dos dados que forneceram, inibe uma correcta interpretação das suas funções e tem alimentado um longo debate inconclusivo. No estado actual dos conhecimentos, parece claro que estes edifícios são romanos, sem nenhuma ligação com o mundo indígena; não terão tido uma função militar, em sentido estrito, contrariamente ao que sucede com o Castelo da Lousa, Mourão, uma verdadeira fortaleza, bem distinta dos restantes conhecidos; resulta claro, hoje, que a suposta concentração deste tipo de arquitectura numa região concreta será mais aparente que real. Constituem um modelo de povoamento ensaiado pelos romanos no Sudoeste num lapso de tempo compreendido entre a Segunda metade do século I a. C. e os inícios do I d.C, provavelmente, antecedendo a estabilização do modelo rural clássico.

Palabras clave


Poblamiento rural romano; siglo I a.C. / siglo I d.C.

Texto completo:


PDF


Copyright (c) 2002 Consejo Superior de Investigaciones Científicas (CSIC)

Licencia de Creative Commons
Este obra está bajo una licencia Creative Commons Reconocimiento 3.0 España (CC-by).


Contacte con la revista archesparqueologia.cchs@cchs.csic.es

Soporte técnico soporte.tecnico.revistas@csic.es